Asma – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos


Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) do Ministério da Saúde e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 6,4 milhões de brasileiros sofrem com a asma, que se trata de uma inflamação crônica das vias aéreas e que compromete a respiração.

Trata-se de uma doença pulmonar, que aflige a homens, mulheres e crianças de qualquer idade.

A asma ocorre quando os brônquios do pulmão, quando estão mais sensíveis, irritam-se com mais facilidade, o que faz com que as vias aéreas se estreitem e inflamem, tornando a respiração cada vez mais difícil e sem passagem – o que provoca o famoso chiado.

Pode ter variações dessa doença, tais como leve ou bem grave. Nos casos leves, as pessoas sentem apenas um sintoma fraco e ocasional. Já nos casos graves, a dificuldade respiratória se torna tão frequente, que é necessário carregar uma “bombinha” aonde for, para que novamente essas vias aéreas possam se abrir. A situação é tão complexa, que pode levar à morte se não for bem tratada.

Causas da Asma

A causa da inflamação destas vias aéreas ainda é desconhecida, embora saiba-se que alguns fatores ambientais possam desencadear esses sintomas. Seriam estas algumas das causas mais comuns de quem padece com esta doença:

  • Fungos;
  • Baratas;
  • Pólens;
  • Ácaros (encontrados onde haja muito pó);
  • Alguns medicamentos e também alguns alimentos;
  • Salivas de animais.

Outros fatores que podem desencadear uma crise de asma, são:

  • Resfriados, gripes e outras infecções virais;
  • Exercícios físicos;
  • Respirar ar seco e ar frio;
  • Poluição em geral, tal como fumaça de cigarro, vapor de pintura, queima química, fumaça de madeira, fumaça de churrasco e outros;
  • Odores intensos;
  • Estresse emocional.

Sintomas da Asma

Existem pessoas que a crise de asma é tão forte e intensa que é impossível detectar qual seria o fator externo capaz de provocar este mal. Embora a asma se desenvolva bem cedo, antes dos cinco anos, os sintomas podem começar em qualquer idade. Esta doença é de caráter hereditário, e pode acometer pessoas que já tenham em sua família qualquer histórico.

Veja baixo quais são alguns de seus sintomas:

  • Difícil respiração;
  • Chiado (como se fosse um assobio, sempre que a pessoa expira forçosamente o ar);
  • Aperto no peito;
  • Tosse persistente e em muitos casos, tosse crônica.

Em casos onde ocorre um ataque grave de asma, os sintomas mais comuns, são:

  • Falta de ar extrema;
  • Taquicardia;
  • Sudorese;
  • Lábios contraídos;
  • Aperto fortíssimo no tórax;
  • Necessidade de permanecer extremamente ereto e sentado;
  • Lábios e unhas ficam de cor azul, processo chamado de cianose.

É importante salientar que em casos leves e moderados, também é possível que as pessoas não apresentem sintomas. Geralmente, estes sintomas somente aparecem quando tais pessoas resolver fazer algum tipo de exercício físico. É quando a dificuldade de respiração se acentua complexamente.

Em casos mais intensos e graves, os sintomas são comuns quando ocorre alguma infecção respiratória grave, seja através de uma gripe ou um resfriado.

Diagnóstico médico

Para detectar a doença, o médico perguntará ao paciente:

– sobre os sintomas e as suas intensidades;
– quando e onde são mais comuns;
– qual a frequência destes sintomas;
– como se tem o alívio dos mesmos.

Desta forma, o médico poderá encontrar maneiras de prevenir, com base nos fatores listados acima, os futuros ataques de asma do seu paciente. Outras questões que o médico procurará saber, são:

– Histórico familiar de alergias e doenças respiratórios;
– histórico familiar de asma.

Com a ajuda de um estetoscópio, é de praxe que um bom médico vá auscultar os pulmões, a fim de detectar qualquer presença de assobio.

Outros exames podem ainda ser solicitados em consultório, incluindo a medição da velocidade com que o ar é expelido na respiração forçada.

A oximetria de pulso, por sua vez, mede os níveis de oxigênio no sangue com um dispositivo de plástico. Tem também a espirometria, que é um exame rico em detalhes no qual o diagnóstico de asma é minuciosamente apontado junto com as condições pulmonares do paciente.

Tratamento da Asma

O tratamento engloba os seguintes aspectos:

  • Prevenção ou controle da inflamação;
  • Relaxamento dos músculos que envolvem as vias aéreas.

O plano de tratamento geralmente é elaborado entre médico e paciente, que levam em consideração os fatores que desencadeiam a asma; quando e como tomar regularmente a medicação; como lidar com graves crises e como usar o medidor de fluxo de pico.

Felizmente, existem várias formas de tratamentos da asma, cada um voltado para um tipo de crise (agudas ou leves) e outros voltados para a prevenção destes ataques.

Uma vez prescritos quando houver o diagnóstico de asma, tais medicamentos devem ser tomados mesmo quando não hajam sintomas. Na maioria são broncodilatadores, que relaxam os músculos das vias aéreas, dando mais espaço para o ar.

Veja também: Como deixar de ter asma







  • Como curar a Tosse

      A tosse é bastante chata e incómoda, principalmente quando não conseguimos aliviar os sintomas nem curar essa tosse que só atrapalha! Já está…

  • Como curar uma Bronquite

    Uma bronquite é um caso sério que pode levar a complicações mais graves como por exemplo o desenvolvimento de pneumonias ou outras doenças do…