Câncer – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos


O câncer, também conhecido como tumor maligno, é uma das doenças que mais assombra o século XXI e uma das principais causas de morte mundial.

Basicamente, a condição consiste em um conjunto de mais de 100 diferentes enfermidades com algo em comum: o desenvolvimento desordenado de células.

Mas como assim? Antes de tudo, vamos entender como funciona o nosso corpo. O organismo humano é formado por centenas de milhares de células saudáveis. Quando completam o seu ciclo de vida, ou seja, quando já não são mais úteis para o organismo, essas células morrem e são substituídas por outras.

O câncer, por sua vez, é identificado quando o processo de multiplicação das células sofre uma mutação. O aumento neste caso é descontrolado, e a divisão celular ocorre com muito mais rapidez do que deveria.

Apesar de menos comum, o câncer também pode se desenvolver quando as células simplesmente ‘se esquecem’ de morrer dentro do nosso organismo.

Ao se desenvolverem com rapidez, as células se tornam incontroláveis e altamente agressivas, o que favorece o surgimento dos tumores (que nada mais são do que ‘células cancerosas’).

Nos dias de hoje, estima-se o surgimento de mais de 570 mil novos casos da doença por ano apenas no território brasileiro. E levando-se em consideração a importância deste tema, confira a seguir tudo sobre o câncer – seus tipos, sintomas, causas, formas de tratamento e até mesmo de prevenção.

Quais são os tipos de câncer?

O câncer se divide entre os mais variados tipos, uma vez que pode se desenvolver em qualquer parte de tecidos ou órgãos. Os principais tipos de câncer são o câncer de mama, cólon, pele, tecidos neurais (cérebro) e ossos. Os mais incidentes no Brasil, em ordem, são:

-> Câncer de pele (não melanoma);
-> Câncer de mama;
-> Câncer de próstata;
-> Câncer de intestino;
-> Câncer de pulmão.
-> Câncer do sangue

Veja também: Como curar Leucemia – Câncer do Sangue

Dentro de cada grande ‘categoria’ estão as menores. No caso do câncer de pele, por exemplo, ele pode ser de diferentes tipos, dependendo da desordem celular ocorrida em cada caso.

Sintomas

Os sintomas do câncer variam bastante com base na parte do corpo afetada pela doença. Porém, alguns sinais são gerais, sendo os principais deles: fadiga, alterações constante de peso, tosse persistente, rouquidão, alterações na pele (como vermelhidão, amarelecimento ou feridas insistentes), indigestão após refeições, dificuldade para engolir e dores musculares.

Principais causas

Como já vimos na introdução deste artigo, o câncer surge a partir de mutações (alterações) dentro das células.

Basicamente, o DNA das células conta com ‘instruções’ que determinam como elas devem crescer e se multiplicar ao longo do tempo. Quando este protocolo não é seguido às riscas, a célula pode se tornar cancerosa.

As principais mutações que resultam no câncer são as seguintes:

-> Crescimento extremamente rápido de células (fazendo com que novas células surjam em número muito maior do que o aguardado);
-> Impedimento da pausa no crescimento das células;
-> Erros na reparação de erros relacionados ao DNA celular.

Mutações genéticas, sejam elas congênitas (herdadas dos pais) ou não, também podem levar ao surgimento do câncer. Essas mutações não são determinantes quando em relação ao desenvolvimento do câncer, porém, são consideradas fatores de risco.

Fatores de Risco de desenvolvimento de câncer

Outros fatores de riscos (que podem causar tanto o surgimento das mutações genéticas como do câncer) são:

-> tabagismo e/ou alcoolismo;
-> exposição frequente à radiação, produtos químicos ou vírus;
-> inflamações crônicas;
-> maus hábitos alimentares;
-> alterações hormonais;
-> obesidade;
-> sedentarismo.

Tratamentos para o câncer

Nos dias de hoje, muitos são os tratamentos disponíveis para a doença. Eles possuem quatro diferentes objetivos:

1. Cura definitiva da doença;
2. Tratamento primário (remover o câncer do organismo/matar células cancerosas);
3. Tratamento adjuvante (com o objetivo de reduzir as chances de que o câncer volte a se manifestar);
4. Tratamento paliativo (para aliviar sintomas ou efeitos colaterais, sendo este geralmente atrelado aos outros tratamentos).

Já os métodos utilizados para tais tratamentos são:

Cirurgia: para remoção de células ou tumores malignos;
Radioterapia: uso de radiação ionizante diretamente no local onde está o tumor;
Quimioterapia: o tratamento visa a destruição, inibição ou controle das células cancerosas. Ele geralmente é realizado antes ou depois da cirurgia, funcionando como uma espécie de tratamento complementar;
Hormonioterapia: o tratamento visa impedir que os hormônios responsáveis pelo aumento das células cancerosas continuem nessa ‘missão’. Ele geralmente é realizado oralmente.

Prevenindo o câncer

A melhor forma de prevenir o câncer é eliminando, ao máximo, os fatores de risco.

É claro que alguns fatores de risco não podem ser eliminados, como é o caso do histórico familiar ou idade, já que o câncer costuma se desenvolver em indivíduos com mais de 60 anos.

Por outro lado, a escolha de bons hábitos refletirá diretamente em um estilo de vida saudável – diminuindo (e muito) os riscos do surgimento do câncer. Não fumar, evitar o consumo exagerado do álcool, não expor o corpo excessivamente aos raios ultravioletas e fazer atividades físicas com frequência são fatores que, certamente, contribuirão para a prevenção ao câncer.