Como curar Colite Nervosa


A colite nervosa é conhecida comummente por síndrome do intestino irritável e é uma doença que pode afetar 30% da população mundial em algum momento das suas vidas.

Noutros casos, manifesta-se de forma crónica, estando presente de forma constante. As mulheres são mais propensas a sofrer desta patologia do que os homens e acredita-se que na maior parte dos casos a doença se manifeste antes dos 45 anos de idade. Esta doença não é fatal, mas pode condicionar a vida de quem sofre dela.

Neste artigo, abordamos as principais questões relacionadas com a colite nervosa, bem como causas, sintomas e tratamentos!

O que é a colite nervosa?

A colite nervosa é um problema que afeta o tubo digestivo e afeta o sistema intestinal, provocando sintomas que podem ser crónicos ou isolados, dos quais não se consegue identificar a origem de um modo inequívoco.

Quem sofre de colite nervosa tem o tecido muscular do instestino mais fino e sensível, reagindo de forma anormal a estímulos comuns como a alimentação e o stress diário.

Este problema pode atrasar ou acelerar o trânsito intestinal, causando alterações na forma como o indivíduo evacua. Este é um problema funcional e não orgânico, ou seja, não existe nenhuma deficiência no intestino, mas sim um conjunto de sintomas difíceis de eliminar.

Existem quatro tipos de colite nervosa:

Causas da colite nervosa 

Não existe ainda uma explicação universal para o aparecimento da colite nervosa, mas acredita-se que esteja relacionada com problemas físicos e mentais.

Consideram-se que algumas das possíveis causas para esta doença são mudanças na comunicação entre o cérebro e o sistema intestinal, causando alterações no funcionamento do intestino e originando um mal estar geral; hipersensibilidade nos intestinos, causando dores apenas pelo movimento normal intestinal; perturbação na mobilidade do intestino, podendo causar diarreia ou prisão de ventre; ansiedade excessiva e quadro clínico de depressão e de stress pós-traumático; gastroenterite causada por bactérias; excesso de gases; sensibilidade excessiva a certos alimentos, como café e chocolate e, por fim, acredita-se que também poderá ter origem genética.

Sintomas da colite nervosa 

Os sintomas da colite nervosa podem piorar em certas ocasiões, como períodos de grande ansiedade ou durante a menstruação (no caso das mulheres).

No entanto, existem alguns sintomas que quando sentidos em conjunto indiciam sem grandes dúvidas que a pessoa sofre de colite nervosa.

Os sintomas são os seguintes:

  • Cólicas frequentes e fortes;
  • Diarreia ou prisão de ventre frequentemente;
  • Alterações significativas nas fezes (cheiro mais intenso, alteração da cor);
  • Dor e desconforto abdominal constantes;
  • Sensação de continuar com fezes mesmo após evacuar;
  • Gases excessivos;
  • Presença de muco nas fezes;
  • Necessidade imediata de evacuar após as refeições.

Quem sofre de colite nervosa, por norma sente os sintomas de forma mais intensa após as refeições e sente os sintomas pelo menos três vezes por mês.

Estes sintomas normalmente não surgem de forma isolada e como podem estar relacionados a outros problemas gastrointestinais nem sempre é fácil diagnosticar a colite nervosa na primeira tentativa.

Tratamento da colite nervosa 

Como é uma doença crónica, infelizmente não existe um tratamento definitivo para esta doença. Quem sofre de colite nervosa precisa de aprender a viver com esta condição e reajustar alguns dos seus hábitos, nomeadamente a nível de alimentação e de gestão da ansiedade.

Contudo, existem algumas medidas que podem ser tomadas para aliviar os sintomas, das quais se destacam as seguintes:

  • Comer em doses mais pequenas e com maior frequência;
  • Ingerir bastante cenoura, pois é um alimento que ajuda a prevenir os sintomas da doença e controla a diarreia e a prisão de ventre;
  • Comer alimentos ricos em hidratos de carbono e com pouca gordura, como cereais, frutas, vegetais, arroz e massa;
  • Beber chá de camomila, pois ajuda a aliviar os sintomas, reduzindo a inflamação da mucosa intestinal e aliviando o inchaço abdominal;
  • Incluir aveia e linhaça na alimentação diária, pois são ricas em fibras e ajudam o intestino a funcionar corretamente;
  • A nível de medicamentos, e sempre com prescrição médica, aconselha-se a toma frequente de laxantes, probióticos e anti-depressivos;
  • Quando a flora bacteriana aumenta de forma desenfreada, pode ser necessário recolher ao uso de antibióticos;
  • Controlar o stress e a ansiedade.

Viver com colite nervosa pode trazer alguns dissabores, mas se tomar as medidas certas consegue fazer uma vida normal.

Adotar um estilo de vida saudável, com a alimentação adequada e onde a prática de exercício físico seja recorrente, ajuda a prevenir a doença e a minimizar os seus sintomas.

O stress em excesso pode desencadear este problema, por isso aconselha-se que adote medidas que o ajudem a saber lidar com ele!

Fumar piora os sintomas desta doença, sendo totalmente desaconselhável que fume se sofrer de colite nervosa!