Como curar o vitiligo – o que é, causas, sintomas e tratamento


Quem não conhece Michael Jackson e a sua luta contra o vitiligo? Muitas pessoas defendem que a sua mudança de tom de pele se deveu a esta doença.

O vitiligo é uma doença de pele que causa a perda de pigmentação em todo o corpo. As pessoas que sofrem desta doença têm o seu corpo às manchas, sendo estas mais claras que o tom de pele predominante.

Não sendo uma doença perigosa para a vida do seu portador, é obviamente bastante incomodativa pois nem sempre é fácil disfarça-la. Neste artigo, apresentamos as causas, sintomas e tratamentos do vitiligo.

O que é o vitiligo?

Esta doença é um problema cutâneo, que causa a despigmentação da pele.

Pode ser de dois tipos: vitiligo localizado e vitiligo generalizado.

O vitiligo localizado acontece quando uma ou mais manchar surgem em pelo menos três zonas diferentes do corpo e em poucos meses evoluem e depois estabilizam, não havendo surgimento de novas manchas. Este tipo de vitiligo pode ser segmentar, focal ou de mucosas. O primeiro caracteriza-se pelo aparecimento de manchas com formas de faixas e só aparece num lado do corpo. O vitiligo focal surge nas mãos, nos pés, nas axilas e nas pálpebras. E o vitiligo das mucosas aparece apenas nos lábios e na zona genital. O vitiligo mais comum é o focal.

O vitiligo generalizado não é muito comum. Acontece quando as manchas são simétricas, ou seja, surgem exatamente nos mesmos locais em ambos os lados do corpo. Este tipo de vitiligo tanto pode surgir de forma muito rápida como lenta e pode estabilizar ao fim de algum tempo.

Existem quatro tipos de vitiligo generalizado: acrofacial, misto, universal e vulgar. Como o próprio nome indica, o mais comum é o vitiligo vulgar. O vitiligo mais raro é o universal e acontece quando as manchas atingem mais de 70% do corpo. O vitiligo acrofacial ocorre quando só existem manchas na cara, mãos e pés.

Causas do vitiligo

Ainda não são conhecidas as causas desta doença. Até agora, apenas se sabe que o vitiligo acontece porque as células responsáveis por formar a melanina morrem ou ficam com deficiências que as impedem de trabalhar normalmente.

Contudo, os médicos ainda não sabem porque é que estas células deixam de funcionar, mas acreditam que é uma doença autoimune, ou seja, o sistema imunológico da pessoa doente destrói os melanócitos (as células que produzem melanina).

Também há especialistas que defendem que esta doença pode ser hereditária e que pode ser causada pela exposição prolongada a raios solares, exposição a produtos químicos e por níveis exagerados de stress.

Esta doença pode afetar qualquer tipo de pessoas e em qualquer idade. Conduto, acredita-se que seja mais comum em pessoas com tons de pele mais escuros e que a sua fase predileta para surgir é até aos 20 anos.

Sintomas do vitiligo

Os sintomas do vitiligo são muito evidentes e dificilmente deixam dúvidas. As pessoas que sofrem da doença apresentam manchas mais claras que o seu tom de pele numa ou em várias partes do corpo.

Também pode existir perda de pigmentação no cabelo, sobrancelhas, cílios ou barba. Por vezes, as membranas mucosas podem adquirir um aspeto doente, ou seja, com cores muito pálidas.

Como saber se tem vitiligo – diagnóstico

O dermatologista é o especialista indicado para diagnosticar e tratar o vitiligo. O diagnóstico da doença é feito de forma simples, pois por norma as manchas de vitiligo têm características muito próprias. Para confirmar o diagnóstico da doença em caso de dúvida, o médico pode pedir para realizar uma biópsia cutânea, análises ao sangue e avaliação do histórico de familiares, caso existam outros casos de vitiligo.

Tratamento

O tratamento para o vitiligo vai depender do tipo da doença e das características do paciente. Existem medicamentos que podem melhorar muito o aspeto da pele e também travar ligeiramente o avanço da doença.

Se a doença for diagnosticada logo no início, alguns cremes podem restaurar a verdadeira cor da pele. Os cremes com corticosteroides são muito eficazes no tratamento, mas podem contribuir para o surgimento de estrias.

Cremes com vitamina D também são aconselhados pelos médicos. A cirurgia é uma hipótese que pode ser considerada caso a doença esteja muito avançada e caso o paciente não responda a qualquer tipo de tratamento.

O objetivo das intervenções cirúrgicas é uniformizar o tom de pele.

Poderá haver enxerto de pele, em que o médico vai remover partes da pele normal e colocar sobre as partes que têm manchas. Poderá haver enxerto por bolhas, em que o médico cria bolhas em cima da pele afetada e posteriormente retira o material das bolhas e o coloca em cima das partes sem cor do corpo.

Por fim, poderá haver micropigmentação, um procedimento semelhante ao método utilizado para fazer tatuagens. O médico implanta o pigmento perdido em áreas pequenas da pele. Este tipo de tratamento é muito utilizado na área dos lábios em pessoas com pele escura.


O vitiligo não é uma doença perigosa, mas causa bastante transtorno por ser uma doença muito visível. Apesar de não ser uma doença contagiosa, muitas pessoas olham com repulsa para a pessoa que sofre deste problema e isso é completamente errado. Nem sempre é possível curar ou disfarçar a doença, por isso, é importante que o doente se aceite como é e que mostre ao Mundo que é uma pessoa perfeitamente normal e que o tom de pele é algo irrelevante!