Como curar uma fissura anal – o que é, causas, sintomas e tratamentos


Uma fissura anal é um problema extremamente desagradável, sobretudo porque se localiza numa zona demasiado íntima.

Contudo, este problema afeta milhares de pessoas em todo o Mundo e apesar de ser bastante incomodativo, não é muito grave e cura-se com facilidade. Neste artigo, falamos sobre causas, sintomas e tratamentos para a fissura anal.

O que é uma fissura anal?

Uma fissura anal nada mais é do que uma ferida na pele que reveste o canal do ânus. Caracteriza-se por um pequeno corte no revestimento anal. Este problema pode aparecer em ambos os sexos e em qualquer idade. Existem dois tipos de fissura anal: aguda e crónica.

A fissura anal aguda aparece esporadicamente (podendo aparecer apenas uma vez) e desaparece ao fim de 4 a 6 semanas. A fissura anal crónica acaba por transformar-se numa úlcera e a lesão é bem mais profunda.

Este tipo de fissura demora muito tempo a desaparecer e é bastante mais complicada de tratar, pois já se encontra num estado mais avançado.

Causas da fissura anal 

A fissura anal resulta de um trauma no ânus. As causas mais frequentes do problema são as seguintes: prisão de ventre regular onde existe muita força para defecar, fezes duras e grandes, diarreias frequentes, ferida causada por inserção de objetos, esforço durante o parto (no caso das mulheres) e prática recorrente de sexo anal.

Em casos raros, a fissura anal pode ser consequência de alguma doença sexualmente transmissível, de leucemia, de tuberculosa e de cancro do ânus.

Diferença entre fissura anal e hemorróidas 

A fissura anal pode ser facilmente confundida com hemorróidas. No entanto, são problemas diferentes. Enquanto a fissura anal é uma ferida à superfície, as hemorróidas existem quando os vasos sanguíneos no revestimento do ânus se encontram dilatadas. A fissura anal é um problema facilmente detetável através do toque e a olho nu, ao contrário das hemorróidas.

Veja também: Como tratar as hemorróidas – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos

Sintomas da fissura anal 

Os principais sintomas da fissura anal são a dor e o sangramento durante a evacuação. Se ao evacuar deita sangue vermelho brilhante, é muito provável que tenha uma fissura anal. A par destes sintomas, também é comum sentir um grande desconforto ao sentar e coceira intensa após evacuar. Também poderá sentir um pequeno caroço perto da zona onde lhe dói.

Tratamentos para a fissura anal 

A fissura anal é um problema que por norma desaparece por si mesmo, mas caso os sintomas persistam durante várias semanas é aconselhável consultar um médico. O médico irá realizar um exame físico onde observará a região anal.

Poderá haver necessidade ainda de um exame de toque retal e ainda de um endoscópio, um tubo iluminado, para examinar o canal anal. Quando o médico suspeita de outra doença subjacente à fissura anal poderá indicar exames como colonoscopia e sigmoidoscopia.

O tratamento da fissura anal é, na maior parte dos casos, bastante simples e muito eficaz. É essencial que o paciente mantenha uma boa função intestinal e para isso é importante que ingira alimentos ricos em fibras, como cereais, arroz integra, milho e feijão. Também é aconselhável que realize banhos de assento em água morna, pois isto vai ajudar a diminuir o mau-estar na região e a comichão.

Também é aconselhável o uso de pomadas que acelerem o processo de cicatrização da região e as mais indicadas são o diltiazem 2% e a nifedipina 0,3%. Em casos raros e mais graves, a cirurgia poderá ser uma opção e uma solução.

A cirurgia é considerada sobretudo nos casos de fissura anal crónica, em que o problema é resistente a todos os tratamentos. A cirurgia envolve um corte de uma porção pequena do esfíncter anal, de forma a reduzir a dor e a permitir a cicatrização da região.

Como prevenir a fissura anal 

  • Beber mais líquidos: a falta de ingestão de líquidos torna as fezes demasiado duras, o que pode aumentar a probabilidade de ter prisão de ventre. É aconselhável que beba dois litros de água por dia, pois isso ajuda a tornar as fezes mais macias e torna a evacuação mais simples.
  • Pratique mais exercício físico: faça exercício todos os dias, nem que seja apenas uma caminhada de 30 minutos. O exercício faz com que haja movimentos intestinais regulares, aumentando o fluxo de sangue em todas as zonas do corpo. Isso ajuda a cicatrizar a fissura anal.
  • Não force demasiado a evacuação: quando temos prisão de ventre, a tendência é exagerarmos no esforço durante a evacuação. Este é um erro que faz com que a fissura não cicatrize em tempo próprio.
  • Mastigue bem os alimentos: a digestão começa na boca e mastigar bem os alimentos faz com que a digestão comece da forma correta e isso vai refletir-se ao longo de todo o trato intestinal.
  • Não adie a ida ao banheiro: há pessoas que têm o vício de adiar a ida ao banheiro, mesmo que tenham vontade. Isso aumenta a probabilidade de sofrer de problemas deste género.

A fissura anal é um problema desagradável, sobretudo pelo sítio onde se encontra, mas com o tratamento adequado é facilmente tratável. Sempre que existir sangue nas fezes procure um médico!