Como curar Frieira


Frieira, também conhecida como pé de atleta, nada mais é do que um tipo de dermatofitose que ataca o espaço entre os dedos e a sola dos pés, sendo a espécie mais comum de micose de pele que existe no mundo.

A frieira, portanto, se trata de uma infecção causada por fungos.

Antes de saber o que é a frieira e suas especificações, é importante saber que ela é apenas um tipo de dermatofitose. Isso quer dizer que não existe apenas um tipo de dermatofitose, ou seja, a frieira é a dermatofitose dos pés, no entanto, existem outras formas de dermatofitose, como a chamada de tinea capitis, que ataca o couro cabeludo, a tinea cruris, que ataca a região da virilha, a tinea corporis, que ataca o tronco e demais membros, e por fim, a tinea barbae, que ataca a barba. Dessa forma, a dermatofitose dos pés é a tinea pedis.

Apesar de não ser considerada como grave, a frieira causa um grande incômodo nas pessoas que precisam conviver com ela, e se não for tratada corretamente, o incômodo pode permanecer por muito mais tempo. Você sofre com problemas de frieira? Ou conhece alguém que sofre? Continue lendo esse artigo para saber muito mais sobre o que é, o que pode causar a frieira, quais são os principais sintomas, e por fim, qual a melhor forma de tratar.

Causas da Frieira

Agora que você já sabe o que é a frieira, ou o pé de atleta como também é chamada, está na hora de saber quais são os causadores desse problema que tanto incomoda. Como foi dito, a frieira é um tipo de dermatofitose, ou seja, um tipo de micose superficial que ataca a pele, as unhas e os pelos. Neste caso, iremos tratar da dermatofitose dos pés.

Todas as espécies de dermatofitose são causadas por fungos dermatófitos, os quais podem pertencer aos gêneros Trichophyton, Microsporum ou Epidermophyton. A dermatofitose dos pés, a tinea pedis, é causada principalmente pelos fungos das espécies Trichophyton mentagrophytes ou Trichophyton rubrum.

Principais sintomas da Frieira

Quando se fala em frieira, muitas pessoas associam o termo com coceira. Isto porque este é um dos principais sintomas, contudo, não é o único. Dentre os outros sintomas que podem indicar a ocorrência de frieira, o acometimento interdigital entre os dedos do pé é o principal de todos. Ele costuma ser acompanhado pela coceira, vermelhidão, descamações e até mesmo rachaduras mais profundas.

Em alguns casos, a dermatofitose dos pés também pode vir acompanhada da micose das unhas, ou ainda, pelo mau cheiro dos pés. O ressecamento da sola dos pés, com descamação e dor na região é também um dos principais sintomas, podendo afetar também uma das mãos, dando origem ao quadro conhecido como “dois pés e uma mão”.

Existe outra forma de frieira, que é a inflamatória. Apesar de ser ainda bastante incomum, acontece em algumas pessoas, e por falta de conhecimento, acaba sendo confundida com outras doenças. A versão inflamatória causa bolhas avermelhadas e doloridas em toda a região dos pés. A frieira inflamatória pode ser facilmente contaminada por outras bactérias presentes na pele, causando celulite ou erisipela.

Como se pega Frieira

Os fungos dermatófitos, causadores da frieira, são fungos que se reproduzem com maior facilidade em locais úmidos, quentes e escuros ou fechados. Sendo assim, a dermatofitose dos pés pode ser pega ao andar descalço por lugares úmidos contaminados com o Trichophyton, ou seja, em vestiários públicos, saunas, piscinas e chuveiros.

Ao contrário do que se pensa, apenas o contato com o fungo não é o bastante para desenvolver a doença, uma vez que ele precisa das condições adequadas para se desenvolver, como umidade e calor. Além disso, algumas pessoas são mais suscetíveis do que outras para contrair a tinea pedis. É por isso que mesmo quando duas pessoas, onde uma delas tem frieira, dividem os mesmos espaços, é possível que a outra não tenha frieira mesmo durante os longos anos de convivência.

Dentre as pessoas que possuem facilidade para contrair a frieira, estão as de HIV positivos, pessoas que suam excessivamente, diabéticos, portadores de onicomicose, pacientes com psoríase, ou qualquer outra doença de pele.

Como tratar Frieira

O tratamento para frieira geralmente é um processo simples, e são raras as vezes que necessita de uma consulta médica. Isso porque as pomadas que são utilizadas para tratar as frieiras são, em maioria, vendidas sem prescrição médica, o que facilita para tantas pessoas que sofrem frequentemente com isso.

As pomadas mais utilizadas, isto é, as que apresentam melhores resultados, são as que contém terbinafina ou naftifina em suas fórmulas. As pomadas à base de cetoconazol, miconazol, clotrimazol ou butenafina também apresentam bons resultados e são indicadas para o tratamento de frieiras.

O tempo de tratamento varia de acordo com cada pessoa e de acordo com a situação em que a frieira se encontra, levando em média quatro semanas para se considerar livre desses fungos.