Como Tratar e Curar Gordura no Fígado


O acumulo de gordura no fígado também pode ser conhecido como “esteatose hepática”, ou “fígado gordo”. Os sintomas costumam ser leves no início, porém, caso ignorados, podem levar a condições mais graves.

Na grande maioria dos casos a gordura no fígado não é preocupante, ou até pode ser normal, até um determinado valor… Porém, quando começa a ultrapassar os limites, pode levar a complicações mais graves. A seguir, confira mais sobre a condição, seus principais sintomas, causas, prevenções e formas de tratamento.

O que é gordura no fígado?

O acumulo de gordura no fígado, como seu nome já nos dá a entender, consiste no acúmulo de gordura em células do fígado. A condição também pode ser conhecida como doença gordurosa do fígado ou infiltração gordurosa. Existem dois tipos de manifestação da doença:

  • Não alcoólica: quando se manifesta em indivíduos que não ingerem bebidas alcoólicas com frequência;
  • Alcoólica: quando o paciente em questão costuma abusar das doses de bebida alcoólica ingeridas.

As causas também variam de tipo para tipo e conheceremos sobre elas mais a diante.

Sintomas

Os principais sintomas que podem indicar acúmulo de gordura no fígado são os seguintes:

  • Sensação de inchaço na barriga/abdômen;
  • Cansaço e fadiga frequentes (e sem outras razões aparentes para senti-los);
  • Dores no abdômen, especialmente, no lado superior e direito do mesmo;
  • Vômitos e/ou enjoos frequentes;
  • Fezes esbranquiçadas ou com aspecto de ‘seca’;
  • Dores de cabeça fortes e constantes;
  • Olhos e pele amarelados.

A combinação de dois ou mais desses sintomas pode ser um reflexo da condição.

Causas

A gordura no fígado não alcoólica (conhecida como esteatose hepática) pode ser causada pelas seguintes razões: diabetes, hepatites virais, obesidade ou ganho recente e excessivo de peso, resistência à insulina, altas taxas de triglicerídeos ou colesterol no sangue e uso constante de medicamentos tais como corticoides, antirretrovirais, estrogênio, tamoxifeno, amiodarona e diltiazen.

Já a não alcoólica atinge uma boa parcela de indivíduos – algo como 20% da população em geral e 60% da comunidade obesa. Quanto maior é o sobrepeso, maiores são as chances de complicações por conta do acúmulo de gordura no fígado. Existem, ainda, três graus de acúmulo de gordura no fígado.

Grau 1: aqui a manifestação é leve, ou seja, quando o acúmulo de gordura é pequeno;
Grau 2: o acúmulo é moderado, e por conta disso, já exige maior cautela por parte do paciente;
Grau 3: o acúmulo é bem expressivo, o que indica a necessidade urgente de tratamento.

Outras causas para a gordura no fígado, apesar de serem menos expressivas, são as seguintes: desnutrição causadas por baixa ingestão de proteínas, jejum prolongado e doença de Wilson.

Tratamentos para reduzir a gordura no fígado

Felizmente, o acúmulo de gordura no fígado tem cura – principalmente quando se encontra nos primeiros estágios.

O tratamento é simples e basicamente reflete na adoção de hábitos mais saudáveis – por meio da prática de exercícios físicos, alterações simples na dieta (com base nas recomendações já citadas anteriormente) e controle de doenças paralelas, tais como diabetes, colesterol alto e hipertensão, caso este seja o caso.

Sendo assim, como você já deve ter notado, o tratamento do acúmulo de gordura no fígado irá depender quase que exclusivamente da razão que causou a condição. A dieta do paciente com acúmulo de gordura no fígado passa a ser rica em alimentos integrais, tais como aveia, quinoa, chia, farinha de trigo, frutas, macarrão e arroz integrais, carnes brancas, peixes, legumes e derivados (preferencialmente desnatados).

Além disso, recomenda-se que o paciente com acúmulo de gordura no fígado suspenda o consumo de bebidas alcoólicas e o uso de cigarros, ou pelo menos a sua redução caso seja um vício que não consegue controlar. A redução no consumo de carboidratos refinados e alimentos ricos em gordura (tais como industrializados, refrigerantes, doces, pão branco, linguiça, pizza, manteiga, alimentos congelados, carne vermelha e frituras) também é fundamental.

A perda de peso também é recomendada, já que grande parte dos pacientes de acúmulo de gordura no fígado são obesos. Já no caso de pacientes com obesidade mórbida, uma alternativa consiste na realização da cirurgia bariátrica. Algumas medicações também podem ser utilizadas como aliadas no tratamento, tais como suplementação com vitamina C ou ômega 3, por exemplo.

Como prevenir o acúmulo de gordura no fígado?

Para prevenir o acúmulo de gordura no fígado as orientações são:

  • Preste atenção na circunferência do abdômen: ela jamais deve ultrapassar 102 cm no público masculino e 88 cm no feminino;
  • Modere o consumo de bebidas alcoólicas. Se for beber, beba conscientemente e sem exageros;
  • Mantenha o seu peso sempre dentro do IMC (Índice de Massa Corporal) levando em consideração a sua idade, altura e sexo;
  • Evite dietas extremamente restritivas para emagrecimento – como aquelas com baixa ingestão de proteínas ou carboidratos, por exemplo. Elas podem gerar uma série de complicações para a saúde, incluindo o acúmulo de gordura no fígado;
  • Evite o consumo de gorduras saturadas e carboidratos refinados. Prefira, no lugar deles, alimentos integrais e saudáveis, tais como verduras, frutas, peixes, carnes brancas, azeite de oliva e outros.