Como curar a Miopatia – O que é, Causas, Sintomas e Tratamento


A maior parte das pessoas não percebe que está a sofrer de miopatia até ao momento em que começam a sentir os membros a fraquejar e a sentir dores incomodativas.

Esta doença muscular impossibilita os seus portadores de terem uma vida normal e até pequenas tarefas do dia-a-dia podem ser uma verdadeira tortura.

A miopatia é um grupo de doenças que pode ser herdada (há quem sofra da doença desde o nascimento) ou adquirida durante os primeiros anos de vida. Os pacientes de miopatia apresentam um caminhar específico e característico e podem sofrer de dores intensas.

A doença está classificada em diversos tipos e neste artigo vamos explorar as suas causas, sintomas e tratamento.

O que é a miopatia?

A miopatia é uma condição neurológica em que o músculo é a causa do problema. Designa-se por miopatia todas as complicações musculares que não causam problemas estruturais nem envolvem o nervo periférico.

Tipos de miopatia:

Distrofia muscular:

Tem carácter hereditário e é um problema degenerativo. É um tipo grave de miopatia que pode causar a morte do seu portador. O tipo mais comum desta distrofia muscular é a distrofia de Duchenne, que causa o comprometimento muscular desde o nascimento e a doença vai piorando até causar a incapacidade do paciente se mover.

Miopatia congénita

Também ter carácter hereditário, mas não é degenerativa. Os principais tipos são miopatia de central corte, miopatia centronuclear e miopatia multiminicore.

Distrofia miotónica

É uma doença autossómica, que se caracteriza pela contração do músculo, inclusive após esforços voluntários. Também é conhecida por doença de Steinert e pode afetar o coração, causando arritmias.

Miopatia inflamatória

Este tipo de miopatia está relacionada com inflamação dos músculos e destruição das fibras. É um tipo de doença autoimune e tem causas desconhecidas ainda.

Miopatia metabólica primária

causa problemas no metabolismo que afetam os tecidos musculares.

Causas da Miopatia

São várias as causas da miopatia, podendo ser um problema congénito ou hereditário. Pode acontecer também devido a infeções, complicações relacionadas com o metabolismo ou resultado de inflamações nos músculos. Em casos raros, também pode ser causada pela ingestão de drogas.

Quando não se consegue identificar a causa da miopatia, diz-se que esta é idiopática. Nestes casos, pode estar associada a doenças como lúpus, artrite, poliarterite nodosa, entre outras.

Sintomas da miopatia

A fraqueza muscular progressiva é o principal sintoma da miopatia, seja ela de que tipo for. Existe também um atrofiamento na região dos ombros e muita dificuldade em relaxar os músculos das mãos.

Em certos casos, acontece ainda a queda das pálpebras, tendo o paciente muita dificuldade em manter os olhos abertos, visto não ter força suficiente nos músculos das pálpebras.

Em alguns casos, existe risco de comprometimento cardíaco, com o surgimento de arritmias. Nos homens, pode haver calvície frontal precoce e infertilidade. A doença manifesta-se primeiro nos membros superiores (as dores e a fraqueza são sentidas no braço e o antebraço não sente a dor). Nos membros inferiores, a dor é sentida na coxa, deixando a perna livre de sintomas.

Por norma, os pacientes de miopatia queixam-se de não conseguirem fazer ações básicas do dia-a-dia, como pentear o cabelo, lavar os dentes, subir e descer escadas, levantar-se de uma cadeira e carregar pequenos pesos, como mochilas e carteiras. Também pode haver outros sintomas como urina escura, febre e mal-estar geral.

Tratamento

Quanto mais depressa se diagnosticar a miopatia, mais probabilidade existe de haver um tratamento eficaz na doença. A miopatia é diagnosticada através de uma avaliação do histórico da criança e através da realização de um exame físico completo. Se o médico suspeitar que a miopatia pode ser hereditária, poderá pedir um histórico de todos os familiares.

Os testes que o médico pode solicitar são: medições de potássio, desidrogenase lática, creatina quínase, biopsia dos tecidos musculares e eletromiograma. Infelizmente, ainda não existe um tratamento direto e único para a miopatia. O tratamento vai sempre depender do tipo de patologia e pode ir desde o simples uso de medicamentos para as dores até tratamentos mais avançados.

O uso de medicamentos anti-inflamatórios é utilizado em todos os tipos da doença. Quando existem complicações cardíacas, é aconselhado o uso de medicamentos que protejam o coração de eventuais problemas graves.

A fisioterapia é sempre aconselhada, para que os músculos não fiquem atrofiados. Apesar da dor intensa, aconselha-se que o paciente pratique algum tipo de exercício físico, pois parar completamente é o primeiro passo para não conseguir mover-se sozinho num futuro próximo.


Viver com miopatia não é fácil, por causa das dores constantes e da dificuldade em fazer ações básicas do dia-a-dia. Contudo, é possível fazer uma vida quase normal, com algumas limitações.

Muitas pessoas que sofrem de miopatia conseguem trabalhar, ter filhos, viajar e até praticar desporto. Se suspeita que pode sofrer desta doença, deve procurar imediatamente um médico e se tem pessoas na família que sofram desta patologia, é aconselhável fazer exames para perceber a probabilidade de a contrair!