Como Tratar o Vírus Zika – O que é, Sintomas, Causas e Tratamentos


Um simples mosquito pode trazer muitos problemas. O vírus Zika é propagado através de um mosquito, e causa sintomas muito graves para a saúde da pessoa. Deve de ser proteger do vírus Zika e evitar males maiores que ele possa trazer para a sua saúde. Aprenda aqui um pouco mais sobre o vírus Zika.

Vírus Zika – A sua origem

O vírus Zika foi identificado pela primeira vez em 1947 num estudo feito a macacos em África, para detetar a proveniência do vírus que causava a febre amarela nestes animais. Sendo que este vírus foi descoberto pela primeira vez em seres humanos em 1952 no Uganda e na República Unida da Tanzânia.

Espalhou-se por alguns países, até entrar no Brasil em 2014, suspeita-se de que o vírus tenha vindo acompanhado por alguns turistas que vieram ver a Copa do Brasil.

O que é o vírus Zika?

O grande responsável pela transmissão do vírus Zika é o mosquito Aedes, o mesmo mosquito que transmite a Dengue, a febre amarela e a febre Chicungunha. O gênero deste mosquito é Flavivírus e normalmente estes mosquitos picam durante a manhã e ao fim da tarde, sendo que o seu reservatório é completamente desconhecido.

Para quem desconhece o mosquito Aedes aegypti mede menos de um centímetro, tem uma aparência inofensiva, em tom café ou até mesmo uma cor escura, muito próximo do preto com listras (ou riscas) brancas no seu corpo e nas suas pernas. É um mosquito que evita as temperaturas muito altas, mas que é bem capaz de atacar nas sombras ou dentro de casa.

Normalmente as pessoas não dão fé da picada, tendo em conta que não dói nem dá coceira e como o Aedes é um mosquito que voa baixo, no máximo dos máximos atinge os 2 metros, a tendência é picar nos joelhos, nas panturrilhas e nos pés.

Quais as causas de o mosquito que tem vírus Zika picar?

Não existe uma causa específica para este vírus, ele ataca porque sim, tal e qual como um mosquito inofensivo. No entanto, este mosquito Aedes está infetado com o Zika e outras doenças que podem vir a ter graves consequências na saúde humana.

O vírus Zika geralmente é diagnosticado através do PCR (Reação em cadeia da polimerase) e do isolamento do vírus em amostras de sangue. Existe uma outra forma de detetar o vírus Zika, mas o diagnóstico por serologia pode não dar os resultados pretendidos, tendo em conta que este vírus pode ter reações cruzadas e que possam ser confundidas com o vírus da dengue, a febre amarela e afins.

Sinais/Sintomas do vírus Zika

O período de incubação do vírus Zika (tempo que decorre desde que apanha o vírus até os sintomas começarem a ser visíveis) ainda não foi descoberto, mas calcula-se que seja apenas de alguns dias.

Os sintomas deste vírus são idênticos aos da dengue:

  • Febres muito altas a rondar os 38 graus;
  • Dores de cabeça e no corpo;
  • Enjoos;
  •  Diarreia;
  • Em alguns casos pode apresentar coceira e erupções da pele;
  • Cefaleias;
  • Mialgia;
  • Conjuntivite;
  • Pequenas úlceras na mucosa oral (aftas);
  • Dor nas articulações com a presença de um possível inchaço;
  • Mau estar em geral.

Durante os surtos na Polinésia e no Brasil, em 2013 e 2015 respetivamente, as autoridades sanitárias nacionais comunicaram à sociedade que poderiam surgir eventuais complicações neurológicas e auto-imunes da doença do vírus Zika.

Como tratar do vírus Zika?

De momento não existe uma vacina para curar este tipo de vírus e normalmente esta doença é relativamente ligeira e não requer nenhum tratamento em específico. As pessoas que são portadoras deste vírus, devem repousar muito, beber bastantes líquidos e tratar das dores, das febres e dos outros sintomas através do uso de medicamentos apropriados e indicados para essas doenças e sintomas. Se porventura piorar o estado, devem procurar um aconselhamento médico.

Como prevenir ou qual a prevenção do vírus Zika

O tratamento deste vírus como podemos ver não é nada de extraordinário, no entanto, existem inúmeras formas de prevenir o vírus Zika e são elas:

Evitar o acúmulo de água

Esta dica é muito importante, tendo em conta que as larvas do mosquito Aedes é germinado em águas paradas.

Tem vasos em forma de prato? São excelentes para “atrair” os mosquitos! O melhor que pode fazer é preencher esses mesmos vasos em prato com areia.

Há uma forte e grande probabilidade de os vasos com pratos gerarem águas paradas, devido à umidade, então como a areia ajuda a absorver a umidade a probabilidade do mosquito colocar lá os ovos reduz drasticamente.

Limpar as calhas com frequência

Os grandes reservatórios são os criadouros mais produtivos para o mosquito.

Colocar telas nas janelas

Deste modo pode evitar que os mosquitos entrem em sua casa pelas falhas que possam existir nas janelas.

Tapar bem o lixo

Esta dica é mais indicada para as latas velhas, estas devem ser sempre bem tapadas, o mosquito Aedes adora casinhas escondidas.

Uso de repelentes várias vezes ao dia

O efeito dos repelentes são temporários, e recomenda-se o uso dos produtos industrializados, tendo em conta que os caseiros, como o andiroba, cravo-da-índia, citronela e óleo de soja, não possuem um grau de repelência suficiente, para afastar o mosquito.